Adalberto Fernandes: "Problema [das urgências] é estrutural e dificilmente será resolvido com medidas pontuais"

Adalberto Fernandes: 'Problema [das urgências] é estrutural e dificilmente será resolvido com medidas pontuais'
Márcia Sobral 17 de junho

Ex-ministro da Saúde diz que as medidas essenciais para resolver os problemas do SNS já constam dos programas dos últimos governos mas que falta o indispensável: impulso político para as concretizar.

Nos últimos dias o País assistiu ao encerramento de vários serviços de urgência na especialidade de Obstetrícia e Ginecologia. A ministra da Saúde, Marta Temido, esteve segunda-feira reunida com diretores clínicos de vários hospitais de Lisboa e com os sindicatos e a Ordem dos Médicos e anunciou que vai ser feito um plano de contingência para os meses de verão. Esta sexta-feira é esperada na Comissão Parlamentar de Saúde para discutir as conclusões do relatório do Tribunal de Contas sobre o Serviço Nacional de Saúde (SNS), devendo ser questionada pelos deputados sobre a situação nos hospitais.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui