Emigrantes lesados do BES reúnem-se para discutir novos protestos

Lusa 02 de abril de 2016
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 15 a 21 de abril
As mais lidas

A Associação Movimento dos Emigrantes Lesados Portugueses reúne-se este sábado em Paris para debater as acções de protesto a desenvolver nos próximos tempos

A Associação Movimento dos Emigrantes Lesados Portugueses (AMELP) reúne-se hoje em Paris para debater as acções de protesto a desenvolver nos próximos tempos de forma a chamar a atenção para o problema destes investidores em produtos do BES.

"Durante a reunião vão ser apresentadas as acções futuras a desenvolver para resolver e chamar a atenção para o problema destes portugueses. Os advogados que defendem esta causa vão estar presentes e disponíveis para prestar declarações à comunicação social", lê-se no comunicado da AMELP.

A associação sublinhou que "na sequência da criação do Novo Banco, em Agosto de 2014, as poupanças dos emigrantes com depósitos no BES foram transferidas para o Novo Banco e aí continuam bloqueadas".

E realçou: "A maioria dos emigrantes lesados do BES são pessoas idosas, com mais de 60 anos, que tinham como projecto um fim de vida descansado, entre os países de emigração e Portugal, usufruindo das poupanças feitas ao longo de uma vida de trabalho e de sacrifícios, necessitando de liquidez e sem qualquer apetência para o risco de perder o capital investido".

A entidade vincou que "os emigrantes lesados do BES sabem a importância que as suas remessas tinham para Portugal, tendo-as enviado por razões patrióticas (uma vez que podiam ter depositado o seu dinheiro em bancos reputados dos países de emigração), respondendo assim aos sucessivos apelos do Estado português e do próprio banco".

A AMELP realçou que "actualmente os emigrantes lesados do BES encontram-se numa situação de pobreza e desespero, sentindo-se desapoiados e esquecidos pelo Estado, vendo-se forçados a recorrer aos tribunais para que seja ouvida a sua voz. Estes portugueses não podem ser esquecidos".

De acordo com a informação fornecida pela AMELP, o encontro está marcado para as 14:h, na sala CMAC2, na Rua Ferry 94250 Gentilly.

Na quarta-feira, Helena Batista, vice-presidente da associação, disse que existe a possibilidade de os emigrantes lesados do BES voltarem a manifestar-se em Paris.

A AMELP, registada a 2 de Fevereiro, vai ser apresentada oficialmente este sábado, em Gentilly, na região de Paris, sendo esperadas "pelo menos 200 pessoas" nesta sessão, já que "a associação conta com 260 aderentes e tem inscrições todos os dias", acrescentou Helena Batista.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais