Colaborador do FC Porto explica viagem a Budapeste: "Não iria lá fazer nada de mal"

Record 09 de abril de 2019

Diogo Faria esclarece semana de férias com a namorada - após a revelação da SÁBADO de quem seria o hacker dos emails do Benfica - e sublinha ter informado a justiça de que ia sair do país.

Diogo Faria, comentador do Porto Canal e coautor do livro ‘Polvo Encarnado’, juntamente com Francisco J. Marques, esteve a 18 de novembro passado em Budapeste, onde Rui Pinto, antigo colega de escola, foi detido. A notícia foi ontem avançada pela CMTV - lembrando que nessa altura já se suspeitava que Rui Pinto estaria por detrás do acesso e divulgação dos emails do Benfica - e Diogo Faria esclareceu já, entretanto, os contornos dessa mesma viagem.

"A 26 de maio de 2018, eu e a minha namorada marcámos voos para uma semana de férias em novembro, escolhida para coincidir com um período de paragem do campeonato. Optámos por ir à Áustria e à Hungria e comprámos voos para Budapeste. Quase quatro meses depois, a 16 de setembro, a CMTV deu eco ao que andava a ser veiculado em fóruns de adeptos do Benfica e noticiou que eu e Rui Pinto fomos colegas na Faculdade de Letras do Porto, referindo até uma suposta amizade, que nunca existiu. Perante isto, cheguei a ponderar não realizar a viagem a Budapeste, para não dar azo a falatório escusado. Mas fui, por motivos muito simples: não iria lá fazer nada de mal e/ou que tivesse de esconder, não se justificando a alteração de planos estritamente pessoais", escreveu na sua conta de Twitter.

E prosseguiu: "Não escondi esta viagem de ninguém: os meus familiares, amigos, colegas de trabalho e entidade empregadora sabem onde fui. E a justiça também, porque cumpri a obrigação de comunicar uma saída do país superior a seis dias, por ser arguido num processo. Durante os três dias em que estive em Budapeste não vi o Rui Pinto nem tive qualquer contacto com ele, mantendo-se exatamente tudo o que disse à CMTV a 16 de setembro: não o vejo, pelo menos, desde 2013, quando deixei de frequentar diariamente a faculdade".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais