“Os bebés devem ir ao psicólogo assim que nascem"

“Os bebés devem ir ao psicólogo assim que nascem'
Ana Taborda 04 de dezembro de 2019

Idealmente nos primeiros oito dias, defende a psicóloga Clementina Almeida, responsável pelo primeiro spa clínico para bebés no País, que chega a Lisboa para a semana.

Depois de quase 20 anos a fazer consultas de psicologia para bebés, Clementina Pires de Almeida ainda ouve muitas vezes a pergunta: "as suas consultas são só para crianças com problemas?" Não, defende a psicóloga clínica especialista nos mais pequenos e fundadora da ForBabiesBrain by Clementina, a clínica de psicologia portuguesa com o primeiro spa clínico para bebés do País. No próximo dia 12, a ForBabiesBrain, fundada no Porto em 2015, chega a Lisboa, mais precisamente a Algés. Além do spa clínico, com sessões de estimulação sensorial e cerebral para bebés e uma área especializada em sono, haverá uma equipa de seis psicólogos (o mesmo número que já existe no Porto) para acompanhar os bebés desde os primeiros dias de vida. E é sobre psicologia pediátrica que falamos nesta entrevista. Mesmo que os bebés deixem inevitavelmente de o ser. "Tenho 'bebés' com 14, 15 anos que ainda me visitam", conta à SÁBADO Clementina Almeida. "Sempre que sentem que alguma coisa não está bem na vida deles, ou na escola, vêm-me procurar." Aos 50 anos, Clementina já perdeu a conta ao número de bebés que acompanhou, mas diz que 60% dos que a procuram chegam sem nenhum problema identificado, porque acreditam que as consultas pediátricas de rotina são importantes. "As mentalidades estão a mudar". Clementina defende que, até aos cinco anos, as crianças devem ir ao psicólogo pelo menos a cada seis meses - e com mais frequência no primeiro ano de vida, quando o desenvolvimento cerebral é mais rápido.

Quando é que devemos levar um bebé ao psicólogo?
Devemos levar um bebé ao psicólogo assim que nasce. As nossas consultas de psicologia pediátrica de rotina começam logo em recém nascido. O ideal é que a primeira avaliação do desenvolvimento cerebral do bebé seja feita até aos oito dias.

Porquê até aos oito dias? Não é muito cedo?
Porque desde logo avaliamos o estado do bebé e percebemos se há alguma necessidade de intervenção. Em termos de reflexos, da relação que vão estabelecendo com o cuidador e com o meio ambiente, também vemos o seu tempo ativo e o tempo de sono. Há até algumas características que ficam logo mais marcadas, bebés que se mostram mais sensíveis, inclusivamente dependendo do tipo de parto e de gravidez que a mãe teve. Tudo aquilo que nós vivemos na gravidez tem uma tradução bioquímica em termos hormonais e essas hormonas acabam por passar pela placenta e pelo cordão umbilical para o bebé e isso vai afetar o seu desenvolvimento cerebral.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais