"As crianças entre os 3 e os 6 anos vêem os outros como 'escravos'"

'As crianças entre os 3 e os 6 anos vêem os outros como 'escravos''
Vanda Marques 23 de setembro de 2017

O pediatra Mário Cordeiro criou uma colecção de livros infantis que tem como herói o Urso Malaquias e a ética como o ponto mais importante. Para ajudar os miúdos a perceber que não gira tudo em torno do seu umbigo

Um ursinho para ser parecido com um miúdo entre os 3 os 6 anos tem de ser guloso, não resistir a um chocolate, e não gostar de perder. Também terá pouca paciência, muita energia e vontade de brincar. As Aventuras do urso Malaquias, da Porto Editora, são sobre um urso que "é bom rapaz. Um pouco cabeça no ar - às vezes, pensa primeiro em si e só depois nos outros, mas rapidamente se arrepende. Está numa idade em que começa a distinguir o certo do errado, contudo, em algumas ocasiões ainda confunde as coisas. É amigo do seu amig e, quando está bem-disposto, alegra toda a bicharada!"
O pediatra Mário Cordeiro estreia-se agora nos livros infantis e quer abordar os comportamentos mais comuns das crianças pequenas, como a frustração na derrota, a inveja e as discussões entre amigos. Os primeiros dois livros da colecção - Malaquias não gosta de perder e Malaquias não resiste a um chocolate - chegaram este mês às livrarias. Conversámos com o pediatra para perceber melhor porque se aventurou nos livros para miúdos.  
Mas atenção, os pais não foram esquecidos. No final de cada livro há dicas para lidar com estas situações. Por exemplo, no caso do livro sobre as derrotas, Mário Cordeiro aconselha: "relativizar as perdas e os danos e mostrar que esse lado 'menos bom' da vida é raro, menor, e que não justifica que se faça dele um 'bicho de sete cabeças'"  

- Porque decidiu escrever livros infantis?

Foi um desafio que me tinha imposto a mim mesmo, e que foi consubstanciado pelo convite da Porto Editora. Lidando com crianças - as minhas e os meus pacientes - desde há tantos anos, e gostando (sou mesmo fã) de banda desenhada, achei que ainda haveria espaço para uma coleção desta natureza, sobretudo porque a ética deve ser um tema sempre presente no ensino/aprendizagem das crianças.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais