Tribunais ouvem pouco as crianças antes de tomar decisões

Tribunais ouvem pouco as crianças antes de tomar decisões
Mariana Branco 03 de março de 2019

Só um quinto das crianças tem oportunidade de se expressar nas secções de família e menores, concluiu uma investigação feita em quatro comarcas do Norte do País.

Processos tutelares cíveis das secções de família e menores de quatro comarcas do Norte revelam que os tribunais tomam decisões sobre crianças sem as ouvir. O espaço da justiça é "perpetuador de uma cultura endémica de não-participação e violador dos direitos das crianças, na medida em que não ouve, não escuta e não considera os contributos prestados por elas", disse ao Público a investigadora Helga Castro, que atualmente faz um doutoramento em Estudos da Criança na Universidade do Minho.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais