Subsídio para vítimas de violência doméstica só chegou a oito mulheres

Subsídio para vítimas de violência doméstica só chegou a oito mulheres
SÁBADO 25 de novembro
As mais lidas

Licença foi criada em 2020 e dá dez dias a vítimas para poderem mudar de casa e reestruturar a vida familiar.

O apoio foi criado em 2020 e pode ser solicitado por vítimas de violência doméstica a quem tenha sido reconhecido o estatuto "pelas autoridades judiciárias ou órgãos de polícia criminal", mas, entre janeiro e setembro deste ano, apenas oito receberam o subsídio de dez dias para poderem mudar de casa e reestruturar a vida familiar.

Ao Jornal de Notícias, a União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR) admite que possa haver vítimas em condições laborais precárias que não usufruem da licença com medo de represálias e defende que o valor atribuído, cujo mínimo diário é de 14,62 euros, é "manifestamente insuficiente", com uma pessoa com rendimento mínimo ou desempregada a receber apenas 146 euros. Até setembro, mais de 800 pessoas (789 mulheres e 15 homens) encontravam-se em situação de acolhimento.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Investigação
Opinião Ver mais