Os exploradores dos kebabs

Os exploradores dos  kebabs
Nuno Tiago Pinto 12 de junho de 2020

Durante anos, dois irmãos exploraram imigrantes ilegais em restaurantes. Faziam-nos trabalhar mais de 12 horas por dia, sete dias por semana e instalavam-nos em alojamentos sem condições. Foram acusados pelo MP de tráfico de pessoas e auxílio à imigração ilegal.

Na aparência, os irmãos paquistaneses Zameer Roshan, 40 anos, e Syed Shabbir, 24 anos, eram dois pequenos empresários de sucesso, com restaurantes de kebab espalhados por Elvas, Portalegre, Campo Maior e Badajoz. Mas, na realidade, viviam à conta da exploração dos imigrantes ilegais que tinham a trabalhar nos seus vários estabelecimentos: angariavam-nos no Paquistão, junto de famílias pobres, facilitavam a vinda deles para Portugal e empregavam-nos, ilegalmente, pagando-lhes salários miseráveis e alojando-os em locais sem as condições mínimas. Em novembro de 2019 foram detidos numa investigação do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que identificou 12 vítimas, uma delas menor de idade, e agora acusados pelo Ministério Público (MP) de Portalegre de 38 crimes, incluindo auxílio à imigração ilegal e tráfico de pessoas.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais