Homem tem enfarte no hospital e é obrigado a chamar a ambulância

Homem tem enfarte no hospital e é obrigado a chamar a ambulância
Leonor Riso 15 de setembro

Deliberações da ERS relatam o caso de um homem que se sentiu mal numa prova de esforço num hospital da Póvoa de Varzim, e foi encaminhado para Braga. Mas teve de fazer os telefonemas. Sobreviveu depois de um cateterismo de urgência.

A Entidade Reguladora da Saúde (ERS) divulgou as deliberações relativas ao segundo trimestre de 2021. Numa delas, é relatado o caso de um paciente que, enquanto sofria um enfarte agudo do miocárdio depois da realização de uma prova de esforço no Hospital da Luz da Póvoa de Varzim que não conseguiu terminar, foi obrigado a chamar ele próprio os meios de emergência.

Após a prova, o médico disse-lhe: "Se fosse a si ia já para o Hospital de Braga", mas não acionou os meios de emergência, o que obrigou o próprio utente a fazer o contacto. 

A história começou no dia 14 de setembro de 2019, quando de madrugada o reclamante deu entrada no Hospital da Luz de Póvoa de Varzim "em razão de dor no peito e mal-estar generalizado". Segundo o utente, o médico disse-lhe: "Você teve aqui um grande aperto". Depois de sujeito a análises e exames, recebeu alta, sob aviso de que tinha que realizar novos exames (análises, ecocardiograma e prova de esforço) no dia seguinte. 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais