Furto das glock: "Quando há criminalidade organizada, é porque se deixou enraizar"

Furto das glock: 'Quando há criminalidade organizada, é porque se deixou enraizar'
Alexandre R. Malhado 19 de dezembro de 2018

O presidente do sindicato da PSP olha com "preocupação" para a possibilidade de "envolvimento de elementos policiais em organizações criminosas", no âmbito da Operação Ferrocianeto.

A Polícia de Segurança Pública (PSP) desencadeou esta quarta-feira a Operação Ferrocianeto para deter os responsáveis pelo furto de 57 armas Glock da PSP em Janeiro de 2017, onde foram detidos dois polícias. O presidente do da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia (ASPP/PSP), Paulo Rodrigues, olha com "preocupação" para a possibilidade de "envolvimento de elementos policiais em organizações criminosas". 

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais