Europeias: BE destaca "dado importante" do voto antecipado, mas insiste no combate à abstenção

Lusa 20 de maio de 2019
As mais lidas

A eurodeputada recandidata do BE destacou a importância de "haver um novo mecanismo que permita às pessoas votar antecipadamente".

A primeira candidata do BE às europeias, Marisa Matias, considerou hoje "um dado importante" ter havido "muita gente" a utilizar no domingo o mecanismo do voto antecipado, mas insistiu que "a abstenção é um dos maiores inimigos desta eleição".

Em declarações aos jornalistas no final de uma ação de campanha na Feira de Espinho, em Aveiro - um ponto de paragem obrigatório da caravana do BE em todas as eleições - Marisa Matias foi questionada pelos jornalistas sobre o voto antecipado, uma novidade neste ato eleitoral, e que foi usado por quase 15 mil pessoas no domingo.

"A abstenção é um dos maiores inimigos desta eleição, mas ontem [domingo] houve muita gente a votar por voto antecipado e eu acho que esse é um dado importante", começou por responder.

A eurodeputada recandidata do BE destacou a importância de "haver um novo mecanismo que permita às pessoas votar antecipadamente".

"Temos alguns dias ainda e as pessoas não podem desvalorizar estas eleições porque senão estão a desvalorizar as suas próprias vidas", alertou.

Assim, a candidatura do BE tem até domingo, dia das eleições, para que "as pessoas percebam o quanto isto é importante" e o quanto estão "a decidir das suas vidas".

"[Veremos] se até esse dia as pessoas tomam mesmo consciência de que aquilo que se decide na União Europeia é o que as afeta todos os dias das suas vidas, em todas as dimensões das suas vidas", insistiu Marisa Matias.

Quase 15 mil pessoas votaram antecipadamente, no domingo, nas eleições europeias, uma novidade neste ato eleitoral e que registou uma afluência de 76%, segundo dados enviados hoje à agência Lusa pelo Ministério da Administração Interna (MAI).

Alguns segmentos da população já podiam votar antecipadamente, mas uma das novidades introduzidas neste ato eleitoral é o alargamento dessa possibilidade a todos os portugueses recenseados em território nacional, os quais não precisam de justificar o motivo.

Lisboa foi o distrito onde mais pessoas votaram antecipadamente (5.871) - apesar de apenas 68% dos 8.595 inscritos terem comparecido para votar -, seguido pelo Porto (2.293) e Coimbra (943).

As pessoas que votaram antecipadamente em mobilidade representam 0,16% dos portugueses recenseados em território nacional, de um total de 9.329.331 eleitores.

Os restantes 4,675 eleitores que pediram para votar antecipadamente, mas que não exerceram no domingo o direito de voto, ainda o poderão fazer no próprio dia das eleições europeias, 26 de maio, na assembleia ou secção de voto onde se encontram recenseados, segundo a informação disponível no 'site' da Comissão Nacional de Eleições (CNE).

Os eleitores com capacidade eleitoral ativa são 10.761.156 - em Portugal e no estrangeiro -, quando nas anteriores eleições para o Parlamento Europeu, em maio de 2014, eram 9.696.481.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais