ERC diz que TVI "não respeitou dignidade humana" em reportagem sobre Pedrógão

Lusa 08 de setembro de 2017
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 29 de julho a 4 de agosto
As mais lidas

"Chegaram à ERC mais de 100 participações que contestam o plano televisivo em que aparece um dos cadáveres da tragédia, na referida reportagem", revelou a entidade em comunicado



A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) considerou que a reportagem emitida na TVI sobre o incêndio de Pedrógão Grande, na qual apareceram cadáveres das vítimas, "não respeitou a dignidade humana" nem "o dever de rigor informativo".

"Na sequência de procedimento oficioso e participações contra o serviço de programas TVI, propriedade da TVI -- Televisão Independente, S.A., relativos à reportagem emitida na edição de 18 de junho de 2017 do 'Jornal das 8', sobre os incêndios em Pedrógão Grande, verificou-se a violação [...] da Lei da Televisão, não respeitando a dignidade da pessoa humana, a ética de antena que lhe cumpre observar e que àquela se associa, bem como o dever de rigor informativo", indica a ERC numa nota publicada no seu 'site'.

Esta foi uma das deliberações adoptadas pelo Conselho Regulador da ERC na reunião de 29 de Agosto de 2017, agora conhecida.

A Lei da Televisão refere, no número 1 do artigo 27, que "a programação dos serviços de programas televisivos e dos serviços audiovisuais a pedido deve respeitar a dignidade da pessoa humana e os direitos, liberdades e garantias fundamentais".

Por seu lado, o número 2 do artigo 34 indica que todos os operadores de televisão têm obrigação de, em programas televisivos generalistas de cobertura nacional, assegurar "a difusão de uma informação que respeite o pluralismo, o rigor e a isenção", entre outras questões.

Contactada pela agência Lusa, fonte oficial da Media Capital escusou-se a comentar a deliberação, indicando que "a TVI já não tem nada para dizer sobre o assunto" devido aos contornos que o tema assumiu, com várias publicações nos meios de comunicação social.

A mesma fonte acrescentou que a Media Capital solicitou "a suspensão da eficácia" da ERC, por discordar desta deliberação.

Em meados de Junho passado, o Conselho Regulador da ERC decidiu abrir um procedimento de averiguações a uma reportagem emitida na edição de domingo do Jornal Nacional da TVI sobre os incêndios em Pedrógão Grande.

"Chegaram à ERC mais de 100 participações que contestam o plano televisivo em que aparece um dos cadáveres da tragédia, na referida reportagem", revelou a entidade em comunicado.

E acrescentou: "A ERC, consciente do estado de choque em que o País se encontra, sintoniza-se com a sociedade portuguesa e espera que a comunicação social seja de uma sensibilidade profissional a toda a prova, neste momento de luto nacional".

Horas antes, o Sindicato dos Jornalistas condenou o sensacionalismo da cobertura noticiosa dos incêndios, recordando que "não deve ser perturbada a dor" das pessoas envolvidas e apelando a acções contra os jornalistas incumpridores do Código Deontológico.

Em comunicado, o sindicato instava os órgãos reguladores, nomeadamente a ERC e a Comissão da Carteira Profissional de Jornalista, "a agirem" perante os casos de cobertura noticiosa que não cumpram as regras deontológicas.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais