Alívio no IRS beneficia mais a classe média alta

Alívio no IRS beneficia mais a classe média alta
Bruno Faria Lopes 12 de outubro

Simulações das consultoras fiscais sugerem poupanças anuais entre 50 e 400 euros dependendo do estado civil de quem calha no sétimo e oitavo escalões. Classe média mais remediada, que trabalhe por conta de outrem, também poupa.

Na semana passada o primeiro-ministro recusou garantir no Parlamento que nenhuma família pagaria mais impostos em 2022, mas o ministro das Finanças não seguiu hoje o seu exemplo. "Não há aumento de impostos para nenhum português", afirmou hoje na conferência de imprensa de apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2022 (OE/2022). As simulações de duas consultoras fiscais – a Deloitte e a EY – vão nesse sentido e sugerem que serão os contribuintes da classe média mais desafogada (com rendimentos brutos acima de 5 mil euros mensais) os principais beneficiados em termos absolutos pelas alterações no IRS.

A Deloitte apresenta o resultado de simulações para um caso simples – as simulações são exercícios que tendem a simplificar os casos que na realidade são tipicamente mais complexos – de um contribuinte solteiro e sem dependentes. Para quem ganhe anualmente 78 mil euros (5.571 euros brutos mensais) o alívio anual estimado ronda 202 euros. Os contribuintes com o mesmo perfil que ganhem 35 mil euros anuais (2.500 euros brutos) terão uma poupança de 49 euros em 2022, valor que desce para 42 euros para quem tenha um rendimento anual bruto de 42 mil euros (3 mil euros mensais). Um solteiro que ganhe 21 mil euros – que cai no desdobramento do terceiro escalão do IRS, contemplado na proposta do Governo – poupa 90 euros.

As simulações da consultora EY – que abrangem casos simplificados de casais com dependentes a cargo – vão sensivelmente no mesmo sentido. A poupança anual maior – de 403 euros – surge no caso de uma família com filhos (um, dois ou três), em que cada membro recebe cerca de 5 mil euros brutos de rendimento mensal e há tributação conjunta dos dois titulares de rendimento.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais