Migrações: Sea Watch não cometeu qualquer crime

Lusa 02 de fevereiro de 2019
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 29 de julho a 4 de agosto
As mais lidas

A procuradoria da Catânia considerou que a ONG não cometeu qualquer crime ao resgatar 47 migrantes ao largo da costa líbia e desembarcá-los em Itália.

A procuradoria da Catânia, o porto siciliano onde o navio humanitário Sea Watch 3 está bloqueado, considerou este sábado que a ONG não cometeu qualquer crime ao resgatar 47 migrantes ao largo da costa líbia e desembarcá-los em Itália.

Um inquérito realizado pela polícia e pelos guarda-costeiros italianos "não permitiu estabelecer elementos de responsabilidade penal no comportamento dos responsáveis do Sea Watch 3", afirmou num comunicado o procurador da Catânia, Carmelo Zuccaro.

O magistrado analisou o comportamento da tripulação do navio desde o salvamento dos 47 migrantes, em 19 de janeiro, até ao desembarque na quinta-feira na Catânia e classificou como "justificadas" cada uma das suas decisões.

No entanto, a procuradoria abriu um inquérito contra desconhecidos por ajuda à imigração clandestina, que visa as redes de traficantes de seres humanos, como acontece a cada chegada de migrantes.

O ministro do Interior e líder da extrema-direita italiana, Matteo Salvini, tinha assegurado na semana passada dispor de "elementos concretos" provando que a tripulação tinha desobedecido às regras.

"Estamos todos absolutamente convencidos de que não fizemos nada de errado, que seguimos a lei à letra", disse na quinta-feira Kim Heaton-Heather, chefe de missão a bordo do Sea Watch 3.

Na quarta-feira, o chefe do Governo italiano, Giuseppe Conte, anunciou um acordo com outros seis países europeus - Portugal, França, Alemanha, Malta, Luxemburgo e Roménia - para acolher os 47 migrantes.

O navio da organização não-governamental (ONG) Sea Watch permanece, no entanto, bloqueado na Catânia, não por razões judiciais, mas por razões técnicas.

Segundo os guarda-costeiros a razão do bloqueio são "uma série de irregularidades relativas à segurança da navegação e […] proteção do ambiente".

Na sexta-feira, a organização não-governamental alemã responsável pelo navio lamentou o seu bloqueio.

"[…] durante este tempo não há mais navios civis no Mediterrâneo para ajudar migrantes", lamentaram os integrantes do Sea Watch na rede social Twitter.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais