Freiras de clausura apoiam vítima de A Manada: "Irmã, acreditamos em ti"

Freiras de clausura apoiam vítima de A Manada: 'Irmã, acreditamos em ti'
Leonor Riso 28 de abril de 2018

Cinco homens acusados de violar uma jovem, e que filmaram o acto, foram absolvidos de violação.

Um grupo de freiras que vivem em regime de clausura (não saem do convento a não ser em caso de emergência) em Espanha manifestou o seu apoio à vítima de A Manada, o grupo de cinco homens que violou uma mulher e filmou as agressões em 2016.

Via Facebook, as carmelitas descalças de Hondarribia escreveram um texto de apoio. "Nós vivemos em clausura, usamos o hábito quase até aos tornozelos, não saímos à noite (a não ser que haja emergências), não vamos a festas, não ingerimos álcool e fizemos voto de castidade. É uma opção que não nos torna nem melhores nem piores que ninguém, apesar de paradoxalmente nos fazer mais livres e felizes que muitos. E porque é uma opção livre, defenderemos com todos os meios ao nosso alcance (este é um) o direito de todas as mulheres a fazer LIVREMENTE o contrário sem que sejam julgadas, violadas, amedrontadas, assassinadas ou humilhadas por isso", lê-se no perfil da irmã Patricia Noya, que gere a página das freiras nesta rede social. O texto termina com a frase "Irmã, eu acredito em ti".

<iframe src="https://www.facebook.com/plugins/post.php?href=https%3A%2F%2Fwww.facebook.com%2Fpatricia.noyaarrizabalaga%2Fposts%2F10212039105077212&width=500" width="500" height="307" scrolling="no" frameborder="0" allowTransparency="true" allow="encrypted-media"></iframe>

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais