China censura vídeos da "marginal" Porquinha Peppa

Diogo Camilo com Leonor Riso 02 de maio de 2018

Mais de 30 mil vídeos foram retirados da Douyin, uma aplicação chinesa usada para partilhar vídeos. Até o hashtag #PeppaPig foi banido.

A Porquinha Peppa tornou-se nos últimos anos um fenómeno infantil à escala global mas a censura da China vem agora limitar a personagem de desenhos animados, por a considerar um ícone de subcultura marginal no país. Mais de 30 mil vídeos foram retirados da Douyin, uma aplicação chinesa usada para partilhar vídeos curtos e até o hashtag #PeppaPig foi censurado, informou o jornal estatal Global Times.

A imagem da Porquinha Peppa, apesar de pensada para um público pré-escolar, tem sido alvo de uso indevido para fins considerados subversivos em conteúdos criados pelos utilizadores. Há pais que protestam por considerar os desenhos animados um mau exemplo para os seus filhos, desencadeando o bloqueio parcial da imagem dos desenhos animados em plataformas sociais.

O programa de televisão britânico conta as aventuras de Peppa, do irmão George e da Ovelha Susie, começou a ser transmitido na China em 2015 e tornou-se um fenómeno, alcançando os 30 mil milhões de visualizações na televisão estatal CCTV e plataformas de streaming. Está prevista ainda a abertura de parques temáticos da Peppa em Xangai e Pequim em 2019 – ano em que se comemora o Ano do Porco no país.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais