Cidades portuguesas são as que menos aqueceram na Europa

Carolina R. Rodrigues 24 de setembro de 2018

As cidades nórdicas, da Europa do Leste e Sul de Espanha registaram um maior aumento de temperaturas devido às alterações climáticas. Em Kiruna, na Suécia, houve uma subida média de 3,4 graus entre 1900 e 1999.

Em comparação ao século passado, a temperatura média na Europa aumentou um grau: os países nórdicos, a Europa do Leste e o Sul de Espanha são os locais onde se registou uma maior subida de temperatura, contrastando com as cidades portuguesas – as que menos aqueceram na Europa.

O top é encabeçado por Kiruna, na Suécia, localizada a 200 quilómetros acima do Círculo Polar Ártico: nos últimos 17 anos, os termómetros marcaram mais 3,4 graus do que no período entre 1900-1999. É seguida de perto por Fredrikstad, na Noruega, e Lappeeranta, na Finlândia, que aqueceram três graus.

No fim da lista ficam as cidades portuguesas, com Ponta Delgada no último lugar (com 0,1º C) e Évora no primeiro - onde a temperatura aumentou quase um grau (0,8º C, concretamente), em comparação aos últimos 17 anos. Foram ainda observados os dados de doze cidades: Coimbra (+ 0,7º C), Beja (+ 0,6º C), Vila Nova de Gaia (+ 0,6º C), Faro (+ 0,4º C), Sintra (+ 0,2º C), Funchal (+ 0,4º C); Aveiro (+ 0,3º C), Matosinhos (+0,2º C), Setúbal (0,2º C) e Lisboa (+ 0,7º C).

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais