O vírus do exagero nas escolas: pais e alunos protestam

Raquel Lito , Sónia Bento 18 de outubro de 2020

Devido à pandemia, há estabelecimentos de ensino que obrigam alunos a almoçar no passeio, a entrar nas instalações só cinco minutos antes do toque e a praticar desporto junto à estrada. Veja o vídeo


Sai uma multidão de máscaras, mas sem o distanciamento físico de dois metros. Àquela hora, 13h, de sexta-feira (9 de outubro), os alunos da Escola Secundária Quinta do Marquês, em Oeiras, esquecem a saída ordeira e comem onde calha. Escadas de prédios, esplanadas, parques, ATL e casas de amigos que vivem naquela rua servem de refeitório improvisado. As duas filhas e o enteado de Cristina Alfaro, secretária de 47 anos – e uma das mães preocupadas com "a propagação do vírus do exagero nas escolas" , conforme diz à própria à SÁBADO – revelam a tendência frugal.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais