Melting Gastronomy Summit: o congresso internacional de gastronomia que é muito mais do que comida

Filipa Teixeira 14 de novembro de 2019

Pensar, provar e falar de comida para construir uma sociedade mais justa e um mundo melhor é a proposta do Melting, que acontece nos dias 14, 15 e 16 de Novembro no Porto. André Chiang e Alex Atala estão entre as principais confirmações

Chefes, enólogos, críticos, produtores, artistas e pensadores vão estar reunidos na Alfândega do Porto para um encontro que gira à volta da componente social, ambiental, nutricional e cultural da comida. Para António de Souza-Cardoso, presidente da Associação Portuguesa para a Promoção da Gastronomia e Vinho, Produtos Regionais e Biodiversidade (AGAVI), esta "grande convocatória internacional" era um sonho antigo e nem foi difícil estruturar os painéis que vão ser apresentados ao longo do evento: "tivemos uma recepção muito boa da comunidade internacional. Portugal desperta a curiosidade do mundo".

Entre os participantes destaca-se a presença do chef taiwanês André Chiang, proprietário do Raw Taipei, considerado o melhor restaurante de Taiwan, e do ANDRÉ, em Singapura, galardoado com duas estrelas Michelin. Chiang é conhecido pela Octofilosofia, uma abordagem pessoal à cozinha alicerçada em oito elementos - único, textura, memória, puro (sem tempero), terroir, sal, sul e artesão - que exponencia a experiência gastronómica ao interligar a comida com o nosso banco de memórias.

Igualmente importante será a presença de Alex Atala, um dos maiores embaixadores e interpretes da gastronomia brasileira e que conquistou três estrelas Michelin nos restaurantes D.O.M. e Dalva e Dito. Entre as suas principais iniciativas destaca-se a fundação do Instituto ÁTA, onde Alex aprofunda a ligação do Homem com o Produto e com a Natureza, levando a cabo projectos com comunidades rurais e indígenas, como é o caso da Pimenta Baniwa Jiquitaia. Produzida pelas mulheres do povo Baniwa, esta pimenta com sal valoriza não só a gastronomia, como alerta a comunidade internacional para a defesa da cultura feminina do roçado, um sistema agrícola indígena da região do Rio Negro que é património cultural do Brasil.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais