Enfermeiro português que salvou Boris Johnson: "Ele disse-me para lhe chamar Boris"

Enfermeiro português que salvou Boris Johnson: 'Ele disse-me para lhe chamar Boris'
Leonor Riso 23 de abril de 2020

Luís Pitarma, de 29 anos, relata como sempre quis trabalhar no hospital de St.Thomas e o nervosismo por tratar o primeiro-ministro do Reino Unido.


Luís Pitarma, o enfermeiro português que ajudou a salvar a vida do primeiro-ministro britânico Boris Johnson, quebrou o silêncio através de uma nota de imprensa difundida pelo NHS, o Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido. 

Pitarma trabalha no hospital de St. Thomas, em Londres, há quase quatro anos. Tem 29 anos e brincou depois de ter sido contactado por Marcelo Rebelo de Sousa: "Aparentemente sou uma celebridade agora em Portugal. É óptimo conseguir mais reconhecimento para os enfermeiros de lá."

"Eu estava a vestir o meu equipamento antes do meu turno à noite quando me chamaram e disseram que o primeiro-ministro [Boris Johnson] estava prestes a entrar na Unidade de Cuidados Intensivos. Fui escolhido para tratar dele porque tinham confiança em como lidaria bem com a situação", relata. "Senti-me nervoso no início - ele era o primeiro-ministro. A responsabilidade que teria nas mãos era bastante avassaladora. Não sabia bem como me dirigir a ele - devia chamar-lhe Boris, sr. Johnson ou primeiro-ministro? O meu chefe acalmou-me e disse-me para ser eu mesmo como sou com qualquer outro paciente."

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais