Assembly: uma 'escola' do futuro onde jogar é essencial para aprender

Assembly: uma 'escola' do futuro onde jogar é essencial para aprender
Diogo Barreto 12 de outubro

João Rodrigues criou uma "escola" para complementar o ensino tradicional e preparar os alunos para as profissões do futuro. Aprendem programação, design informático e robótica. "Maior parte das profissões que vão existir daqui a 20 anos ainda não existem."

André tinha nove anos quando entrou pela primeira vez na Assembly. Tinha o cabelo grande e era tímido, mas tinha uma enorme vontade de aprender como funcionavam os jogos de computador de que tanto gosta. Na Assembly começaram a ensinar-lhe as bases de programação e hoje, aos 12 anos, é um dos melhores alunos desta "escola do futuro".

Mas o que é a Assembly? Em funcionamento desde setembro de 2019, é uma escola que pretende ensinar os alunos para o mundo atual, ao mesmo tempo que lhes dá bases para aquilo que será o mundo daqui a 20 anos, explica o diretor da escola, João Rodrigues. Nesta "escola" situada na base da Avenida da Igreja, em Alvalade, Lisboa, o pai de cinco montou um espaço de atividades de tempos livres em que os mais novos aprendem competências digitais - "que serão essenciais quando chegar altura destas crianças arranjarem um emprego" - ao mesmo tempo que se divertem. 

A Assembly denomina-se como uma "escola de tecnologia" para os trabalhadores do futuro. Sejam eles detetives, médicos, professores, programadores ou, como muitos pretendem ser, os gamers do futuro. E como é que se preparam os alunos para estas profissões? Ninguém sabe, nem o próprio fundador da escola. "À velocidade que as coisas têm avançado nas últimas décadas, ninguém consegue prever que ferramentas se vão usar. As linguagens informáticas que se usam hoje, como a Java, o C++ ou o Python podem já estar totalmente obsoletas e ter sido substituídas", diz João Rodrigues que centrou a missão da sua escola em dar bases aos alunos para que percebam como funciona o mundo da programação, design informático e robótica.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais