Cigarros eletrónicos

A perigosa moda do vaping à porta dos liceus

A perigosa moda do vaping à porta dos liceus
Lucília Galha 27 de junho

Não deixam cheiro, nem rasto. Há milhares de sabores, como Red Bull e tarte de maçã, e parece ser só vapor de água, mas não é. Fazem tão mal quanto os outros.

Tinha 14 anos quando começou. Viu o vídeo de um influencer a fazer truques com o fumo, procurou informação sobre o assunto e decidiu experimentar. Desde então, tornou-se rotina. Agora consome, não só durante o dia, como no seu quarto, quando vê um filme no computador. Tranca a porta e põe uma toalha a tapar a entrada. Até pode fazê-lo deitado na cama. Não deixa cheiro, nem suja nada – o pai não sabe, “nem pode [saber]”.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais