Como os retornados mudaram Portugal

Como os retornados mudaram Portugal
Bruno Faria Lopes 03 de novembro de 2019

Criaram empresas, hospitais e universidades. Revolucionaram os costumes e as artes. As histórias de sucesso de quem regressou de África.

Manuel e Maria da Luz saíram de Moçambique no dia em que souberam do risco de fecho iminente da fronteira com a África do Sul. Manuel era um jovem médico formado em Lourenço Marques, hoje Maputo. Naquele dia, no final de janeiro de 1975, pediu um camião ao sogro, que ainda tinha o negócio de construção, pôs "os tarecos todos lá dentro" e saiu para a África do Sul. Um ano depois foi a vez de os seus pais e o sogro - que entregou o negócio aos empregados de maior confiança - abandonarem Moçambique e voltarem para a aldeia portuguesa de Memória, no distrito de Leiria. Todos tinham saído de lá no início dos anos 50. A sua chegada mudaria a aldeia - tal como o regresso tardio de Manuel, 12 anos depois, mudaria a saúde no País.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais