Polícia Judiciária deteta em Portugal 296 "mulas de dinheiro" em operação europeia

Lusa 05 de dezembro de 2022
As mais lidas

Foram igualmente identificadas outras nove pessoas como angariadoras de "mulas", 64 pessoas interrogadas e constituídas arguidas e identificadas 349 contas bancárias ligadas a transações ilícitas.

A Polícia Judiciária (PJ) anunciou esta sgeunda-feira que identificou em Portugal 296 "mulas de dinheiro" e nove angariadores, numa operação europeia de combate a este crime de branqueamento de capitais.

Alexandre Azevedo/Sábado
A PJ refere em comunicado que participou, entre 15 e 30 de novembro, na operação 'European Money Mule Action' (EMMA), em que foram identificadas 8.755 "mulas de [transporte] de dinheiro" e em que "medidas cautelares" evitaram a perda total de 17,5 milhões de euros.

A operação EMMA, em que a PJ trabalhou com o Centro Europeu contra o Cibercrime da Europol, teve como resultado global a detenção de 2.469 suspeitos.

Em Portugal, além da identificação de 296 pessoas classificadas como "mulas de dinheiro", foram igualmente identificadas outras nove pessoas como angariadoras de "mulas", 64 pessoas interrogadas e constituídas arguidas e identificadas 349 contas bancárias ligadas a transações ilícitas.

Foram igualmente iniciadas em Portugal 90 investigações e identificadas 262 vítimas deste crime, num prejuízo patrimonial superior a 4,5 milhões de euros, adianta a PJ.

A operação EMMA foi executada pelo oitavo ano consecutivo e envolveu um total de 25 países, sob o tema 'DontBeaMule' (Não Sejas Uma Mula).

Este tipo de campanha visa sensibilizar o público em geral de que as 'mulas de dinheiro' são pessoas recrutadas por organizações criminosas para o levantamento de dinheiro ou transferências ilícitas de fundos, passando, também elas, a ser intervenientes e autoras de crimes.
Artigos Relacionados