Mais de metade das pessoas com 65 ou mais anos já se vacinaram contra a gripe

Lusa 25 de novembro
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 1 a 7 de dezembro
As mais lidas

No total de 54,1% das pessoas com 65 ou mais anos de idade que já foram vacinadas, o grupo dos 80 ou mais anos já tem uma taxa de cobertura de 76,6%.

Mais de metade (54,1%) das pessoas com 65 anos ou mais já tinham sido vacinadas contra a gripe até segunda-feira, uma subida de 36,6 pontos percentuais em comparação com dados do vacinómetro divulgados em 2 de novembro.

REUTERS/Nicky Loh
O documento da 2.ª vaga do vacinómetro, a que a Lusa teve hoje acesso, mostra também que foram vacinados contra a gripe cerca de 28,2% (+18,3pp) dos portugueses com idades compreendidas entre os 60 e os 64 anos.

No total de 54,1% das pessoas com 65 ou mais anos de idade já vacinadas, o grupo dos 80 ou mais anos já tem uma taxa de cobertura de 76,6%.

"Da análise ao grupo dos 80 ou mais anos de idade assistimos a um acréscimo de 37,8 pontos percentuais do número de vacinados em comparação com a primeira vaga" do vacinómetro, refere o documento, lembrando que 50,5% foi por recomendação do médico.

Segundo os dados da 2.ª vaga do estudo que monitoriza em tempo real a cobertura vacinal contra o vírus da gripe, da população incluída nas recomendações da Direção-Geral da Saúde (DGS) já terão sido vacinados este ano contra a gripe sazonal 52,2% dos portadores de doença crónica (+36,2 pp) e 47,6% (+15,4 pp) dos profissionais de saúde que estão em contacto direto com doentes.

No grupo dos portadores de doença crónica, 53,8% dos que têm diabetes (+41,3 pp) e 52,7% dos que têm doença cardiovascular (+37,2 pp) já estão vacinados.

As mulheres grávidas já têm uma cobertura vacinal de cerca de 42,8%, uma subida de 1,5 pp em comparação com os dados da primeira vaga do vacinómetro, apresentados em 2 de novembro.

Este ano também está a ser monitorizada no vacinómetro a população entre os 18-59 anos de idade e os primeiros resultados revelam que 9,2% já terão sido vacinados. Para esta análise, "estão excluídos os indivíduos pertencentes ao grupo de doentes crónicos, profissionais de saúde e mulheres grávidas", acrescenta o documento.

"Os resultados apontam ainda que 32,8% da amostra total não vacinada ainda tenciona vacinar-se e 8,1% aguarda marcação", acrescenta a nota.

O vacinómetro é promovido pela Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP) e pela Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF), com o apoio da empresa biofarmacêutica Sanofi Pasteur.

A 2.ª vaga do vacinómetro, hoje conhecida, inclui os dados recolhidos entre 16 e 22 de novembro.

De acordo com as recomendações, a vacina pode ser administrada durante todo o outono/inverno, de preferência até ao fim do ano civil.