Espanha prevê que 70% da população esteja vacinada até finais de agosto

Lusa 06 de abril
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 15 a 21 de abril
As mais lidas

De acordo com as contas do governo espanhol, cinco milhões de pessoas deverão estar vacinadas até 3 de maio, 10 milhões na primeira semana de junho e 15 milhões até ao dia 14 desse mês.

O primeiro-ministro espanhol referiu esta terça-feira que, tendo em conta um cenário "prudente e conservador", o ritmo de vacinação vai aumentar de modo a que, no final de agosto, 70% da população, o equivalente a 33 milhões de pessoas, esteja imunizada.

Espanha Covid-19
Espanha Covid-19 Reuters
De acordo com os cálculos de Pedro Sánchez revelados esta terça-feira em conferência de imprensa, cinco milhões de pessoas vão estar vacinadas contra a covid-19 até 03 de maio, 10 milhões na primeira semana de junho e 15 milhões até ao dia 14 desse mês, para atingir 25 milhões de pessoas imunizadas até 19 de julho.

Espanha tem uma população total de cerca de 47 milhões de pessoas e durante o segundo trimestre do ano espera receber 38 milhões de doses da Pfizer, AstraZeneca, Moderna e Janssen, o que é 3,5 vezes mais do que as doses entregues pelas empresas farmacêuticas até março.

Mais, a vacina Curevac deverá ser aprovada em breve, o que, adicionada às anteriores, vai aumentar o número de doses no terceiro trimestre para 48 milhões, tendo o país contratos para receber 87 milhões de doses entre abril e setembro.

Segundo o primeiro-ministro espanhol, se houve atrasos e a União Europeia (UE) mantém agora um ritmo de vacinação mais lento que outros países é por uma única razão que "tem nome e apelido: há uma empresa que não cumpriu os seus compromissos, e que é a AstraZeneca", acusou.

Pedro Sánchez defendeu o sistema centralizado de compras utilizado pela UE no qual a Espanha participou e que permitiu o acesso a uma vasta gama de medicamentos, enquanto outros países optaram por apenas um.

"É importante estar ciente de que, apesar do facto de a AstraZeneca não ter atingido a sua taxa de entregas, a Espanha não se tem sentido tão desfavorecida como outros países, porque tem uma carteira mais rica [diversificadas]", disse o chefe do executivo espanhol.

Sánchez vez um apelo no sentido de se "unir forças", aproveitando o facto de que a Espanha ter capacidade para administrar mais de 3,5 milhões de doses por semana "para vacinar e vacinar e vacinar sem descanso".

"Estamos no início do fim", disse o chefe do Governo, que valorizou os esforços de todos os governos regionais do país para implementar o plano de vacinação, o que colocou a Espanha entre os países da UE "com melhor desempenho".

De acordo com Pedro Sánchez, a campanha de vacinação de massas é "o caminho mais curto" e "mais eficaz" para reativar" economicamente o país.
Artigos Relacionados