Covid-19: Áustria vai voltar a confinar e vai impor vacinação

Lusa 19 de novembro
As mais lidas

A Áustria é o primeiro país da União Europeia a regressar ao confinamento da população face ao ressurgimento dos casos de covid-19. A medida será imposta poucos dias depois de o país ter decidido confinar as pessoas que não foram vacinadas.

A Áustria vai impor, a partir de segunda-feira, o confinamento de toda a sua população e tornar a vacinação obrigatória a partir de 1 de fevereiro, anunciou hoje o chanceler austríaco, Alexander Schallenberg.

Reuters
A Áustria é o primeiro país da União Europeia a regressar ao confinamento da população face ao ressurgimento dos casos de covid-19. A medida será imposta poucos dias depois de o país ter decidido confinar as pessoas que não foram vacinadas.

A decisão sobre a vacinação obrigatória foi tomada depois de discussões com todos os governadores regionais.

De acordo com Alexander Schallenberg, o confinamento durará inicialmente 10 dias, sendo que a maioria das lojas terá de fechar, os eventos culturais serão cancelados e os alunos voltarão a ter aulas 'online'.

O ministro da Saúde austríaco, Wolfgang Mueckstein, explicou que as escolas permanecerão abertas para aqueles que precisarem de ir, mas apelou a todos os pais para, se possível, manterem os seus filhos em casa.

Temos de "enfrentar a realidade", afirmou o chanceler numa conferência de imprensa.

"Apesar de meses de persuasão, não conseguimos convencer um número suficiente de pessoas a vacinarem-se", disse, defendendo que "aumentar, de forma sustentável, a taxa de vacinação é a única maneira de sair do círculo vicioso".

A Áustria tinha imposto, na segunda-feira, um confinamento nacional apenas para os não vacinados (cerca de dois milhões de pessoas), mas como os casos de infeção pelo vírus que provoca a covid-19 continuaram a disparar, o Governo considerou que "não tinha escolha" a não ser estender a medida a todos.

"Isto é muito doloroso", admitiu Schallenberg.

O confinamento poderá ainda ser renovado para um máximo de 20 dias, caso o primeiro período não seja suficiente para diminuir os novos casos de infeções, referiu o chanceler.

A Áustria, um país de 8,9 milhões de habitantes, tem uma das taxas de vacinação mais baixas da Europa Ocidental.

Nos últimos sete dias, o país registou mais de 10.000 novos casos de infeção por dia, um aumento do número de mortes e a sobrelotação dos hospitais com novos doentes com covid-19.

A pandemia está a ressurgir em força na Europa e vários países, como a Suécia, a Alemanha ou a Grécia, anunciaram, nos últimos dias, um aumento das restrições.

A covid-19 provocou já pelo menos 5.122.682 mortes em todo o mundo, entre mais de 254,95 milhões de infeções pelo novo coronavírus registadas desde o início da pandemia, segundo o mais recente balanço da agência France-Presse.

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.
Artigos Relacionados