BBC recebe número recorde de queixas por cobertura da morte do príncipe Filipe

Lusa 15 de abril
As mais lidas

Os ingleses reclamaram, nas redes sociais, pelo cancelamento de todos os programas em todas as antenas e a sua substituição por edições especiais, o que deixou os ouvintes e telespetadores sem escolha, mas também pelo "tom choroso" de alguns programas, sem o distanciamento normalmente observado pelos canais de notícias.

A estação pública britânica BBC avançou esta quinta-feira ter recebido quase 110 mil reclamações, um número sem precedentes, com críticas à cobertura "muito extensa" da morte do príncipe Filipe, marido da Rainha Isabel II.

O príncipe Carlos e a mulher, Camila, visitaram um dos memoriais de homenagem ao pai, o príncipe Filipe.
O príncipe Carlos e a mulher, Camila, visitaram um dos memoriais de homenagem ao pai, o príncipe Filipe. Jeremy Selwyn/Pool via REUTERS
O grupo interrompeu, na sexta-feira passada, todos os seus programas para anunciar a morte, aos 99 anos, do marido da Rainha de Inglaterra e, tanto os canais de televisão como as estações de rádio (com exceção de algumas que são apenas musicais) transmitiram, durante o resto do dia e parte do dia seguinte, emissões especiais em homenagem ao duque de Edimburgo.

Depois de receber um grande número de queixas, a BBC, que tem críticas frequentes, publicou um formulário especial para as receber, lembrando que "alguns telespetadores ficaram insatisfeitos com o nível de cobertura dado e as repercussões nas programações previstas".

No seu boletim informativo regular, o grupo disse ter recebido um recorde de 109.741 reclamações.

Os ingleses reclamaram, nas redes sociais, pelo cancelamento de todos os programas em todas as antenas e a sua substituição por edições especiais, o que deixou os ouvintes e telespetadores sem escolha, mas também pelo "tom choroso" de alguns programas, sem o distanciamento normalmente observado pelos canais de notícias.

Outros ainda não apreciaram o facto de a BBC ter ido ouvir o príncipe André, um dos filhos da rainha, atualmente retirado da vida pública da monarquia devido ao escândalo provocado pela sua amizade com o magnata norte-americano Jeffrey Epstein condenado por crimes sexuais.

As edições especiais dedicadas à morte do príncipe Filipe provocaram quedas significativas nas audiências das televisões britânicas relativamente às registadas com as programações habituais.

A cobertura da BBC das mortes de membros da família real segue procedimentos preparados com anos de antecedência e repetidos regularmente, desenvolvidos numa época em que o panorama da comunicação social era muito diferente, com muito menos canais disponíveis.

O Reino Unido está esta semana em luto oficial pela morte do príncipe Filipe, que morreu no passado dia 09, aos 99 anos, poucas semanas depois de ter sido submetido a uma intervenção cirúrgica a problemas cardíacos, e cujo funeral decorrerá este sábado.
Artigos Relacionados