Rui Rio surpreendido com "falhas" da governação

Lusa 19 de dezembro de 2018
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 25 de fevereiro a 3 de março
As mais lidas

Presidente do PSD considerou que o Governo tem revelado "falhas" nas áreas da segurança, defesa ou saúde, situação que não acreditaria que surgissem nesta altura da governação.

O presidente do PSD, Rui Rio, considerou esta quarta-feira que o Governo tem revelado "falhas" nas áreas da segurança, defesa ou saúde, situação que não acreditaria que surgissem nesta altura da governação.

Rui Rio, presidente do PSD
Rui Rio
Rui Rio, presidente do PSD
Rui Rio
"Tem falhas [Governo] aos mais diversos níveis que eu, sinceramente, pensei que iam aparecer, isso é evidente, mas não tão cedo quanto estão a aparecer. Portanto, os maus resultados da governação estão a aparecer mais cedo do que aquilo que eu próprio imaginava que viesse a acontecer, pensei que ia demorar mais", disse Rui Rio.

O líder do PSD, que falava aos jornalistas no quartel dos Bombeiros Voluntários de Borba (Évora), após ter também visitado o local do acidente onde ocorreu há um mês a derrocada na Estrada Municipal 255, tendo provocado cinco mortos, considerou ainda que "era suposto" o Governo nesta altura estar a passar por um período de paz social.

"Um Governo, cuja governação aponta inequivocamente para o presente e não para o futuro, dando a distribuir o que tem rapidamente e a acautelar o presente e depois o futuro alguém que venha e feche a porta, era suposto, que nesta altura tivesse paz social e, enfim, o contentamento das pessoas", disse.

"[O Governo] enfrenta uma onda de greves como não há memória recente em Portugal, pelo menos numa situação em que a economia ainda cresce. Se é assim no presente quando tudo fizeram para o presente como será no futuro quando estivermos num ciclo baixo da economia", questionou.

Relativamente às manifestações sob o lema "Vamos Parar Portugal", marcadas para sexta-feira em diversos pontos do país, Rui Rio rejeitou em declarações aos jornalistas que estejam relacionadas com as "falhas" que apontou à governação.

"Uma coisa é nós de uma forma democrática e civilizada alertarmos como eu estou a alertar, coisa completamente diferente é tentar aproveitar este descontentamento social para depois ter manobras de ordem política de extrema-direita ou seja o que for, para isso não contam comigo de certeza absoluta, não estou cá para isso", afirmou.

Sobre a expectativa em relação à manifestação, Rui Rio desconhece a dimensão que a mesma possa vir a ter.

"Eu não me parece que se consiga em Portugal, que é um povo ordeiro, não vou já dizer à escala do que aconteceu em França, mas, enfim, a uma escala para lá do razoável. Eu acho que não há força para isso", disse.

O líder do PSD considerou ainda "positivo" a suspensão dos protestos dos bombeiros e dos enfermeiros no decorrer dos próximos dias.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Opinião Ver mais