IGAS culpa enfermeira em greve e médicos por morte de feto

IGAS culpa enfermeira em greve e médicos por morte de feto
Mariana Branco 19 de dezembro de 2018

Em Agosto do ano passado, uma enfermeira e três médicos foram responsáveis pela morte de um feto no Hospital de Santa Maria em Lisboa, denuncia a Inspecção-Geral das Actividades em Saúde. O caso está a ser investigado pelo Ministério Público.

Num caso que remonta a Agosto do ano passado, a Inspecção-Geral das Actividades em Saúde (IGAS) concluiu que uma enfermeira e três médicos tiveram responsabilidade na morte de um feto no Hospital de Santa Maria em Lisboa, revela o jornal Público. O caso, já com cinco arguidos, está a ser investigado pelo Ministério Público.  

A IGAS acusa os profissionais de saúde de violar o "dever de cuidado que lhes era exigível" durante a "greve de zelo" dos enfermeiros obstetras no Verão passado.

A 23 de Agosto de 2017, uma grávida de 33 semanas, na casa dos 20 anos, deu entrada no serviço de urgência do Santa Maria. Com antecedentes de problemas respiratórios e cardíacos, apresentava restrição do crescimento fetal, alterações do fluxo urinário e uma infecção respiratória. Segundo o relatório do inquérito da IGAS, a que o jornal teve acesso, a grávida ficou internada para "indução da maturidade pulmonar fetal e vigilância do bem-estar fetal".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Investigação
Opinião Ver mais