Enfermeiros: Presidente do Sindepor vai entrar em greve de fome

Enfermeiros: Presidente do Sindepor vai entrar em greve de fome
Mariana Branco 19 de fevereiro de 2019

Carlos Ramalho decidiu tomar uma posição sobre a greve cirúrgica dos enfermeiros, que a PGR considerou ilegal. "Amanhã, a partir do meio dia, vou para a porta do senhor Presidente da República, e vou entrar em greve de fome", disse.

Carlos Ramalho, presidente do Sindicato Democrático dos Enfermeiros de Portugal (Sindepor) anunciou esta terça-feira que vai entrar em greve de fome. Em causa está a greve cirúrgica dos enfermeiros, que a Procuradoria-Geral da República considerou ilegal. 

"Tem que haver uma reação sem precedentes, como nunca foi feito neste País", disse em declarações aos jornalistas, em Évora. "Eu, Carlos Ramalho, presidente do Sindepor, em nome dos enfermeiros, em nome dos trabalhadores, em nome do direito à greve e de uma luta digna como estamos a fazer, amanhã, a partir do meio dia, vou para a porta do senhor Presidente da República, para o Palácio de Belém, e vou entrar em greve de fome". 

"Apelo a todos os portugueses, não só aos enfermeiros, a todos os trabalhadores, para que percebam o que é que está em causa neste momento: o próprio direito à greve", defendeu o responsável. "Estamos perante uma situação nunca vista neste País".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais