Rui Rio venceu o debate. Não sei se venceu o país. Vamos por partes?
João Pereira Coutinho Politólogo, escritor
13 de janeiro

Rui Rio venceu o debate. Não sei se venceu o país. Vamos por partes?

Esta é a resposta que teremos a 30 de Janeiro: vence o medo ou vence a necessidade de mudança?

Começo pelo óbvio: os outros debates foram meros divertimentos, em que os pequenos brincaram entre si e os grandes tentaram arrumar a casa. Para Costa, serviram para fechar a porta ao Bloco e o PCP; para Rio, serviram para que ele a abrisse aos liberais, ao CDS – e até ao Chega.  

Mas a conversa, agora, era outra. Quem é que os portugueses querem ter como primeiro-ministro? 

Em tempos normais, e no plano da mera racionalidade, o primeiro-ministro seria Rui Rio. Na fiscalidade, na economia, nos serviços públicos, nos hospitais – Rio sabe, e mostrou, como a estagnação e o colapso do Estado são a verdadeira herança de Costa. Aliás, não apenas de Costa: do Partido Socialista, que desde 1995 tem sido responsável pelos destinos do país.  

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Opinião Ver mais