Refugiados do Alan Kurdi à deriva: Malta impede entrada do navio

Lusa 07 de julho de 2019
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 8 a 14 de abril
As mais lidas

Navio humanitário com 65 migrantes a bordo continua a dirigir-se para a ilha.

As autoridades maltesas proibiram hoje a entrada nas suas águas territoriais do navio humanitário Alan Kurdi, com 65 migrantes a bordo, que continua a dirigir-se para Malta, após ter sido recusado pelas autoridades italianas.

Apesar do aviso, lançado por um porta-voz das Forças Armadas de Malta, o Alan Kurdi continua a deslocar-se rumo ao país insular no meio do Mediterrâneo. De acordo com o Twitter da Sea Eye, encontram-se três pessoas a precisar de cuidados médicos urgentes a bordo.

"Nós não podemos esperar até nos encontrarmos em estado de emergência. Devemos agora ver se os governos europeus apoiam a posição de Itália. As vidas humanas não são moedas de troca", comentou a Organização Não-Governamental (ONG) alemã Sea Eye, dona do navio, no Twitter.

<blockquote class="twitter-tweet"><p lang="en" dir="ltr">In the evening, the <a href="https://twitter.com/hashtag/AlanKurdi?src=hash&amp;ref_src=twsrc%5Etfw">#AlanKurdi</a> changed its course towards Malta.<br>We can not wait until the state of emergency prevails.<br><br>Now it has to be proven whether the European governments stand by Italy&#39;s attitude.<br>Human lives are not a bargaining chip. <a href="https://t.co/wHczdoI4po">pic.twitter.com/wHczdoI4po</a></p>&mdash; sea-eye (@seaeyeorg) <a href="https://twitter.com/seaeyeorg/status/1147617354492403718?ref_src=twsrc%5Etfw">July 6, 2019</a></blockquote> <script async src="https://platform.twitter.com/widgets.js" charset="utf-8"></script>

Ao mesmo tempo, as forças armadas maltesas anunciaram ter socorrido hoje um grupo de 50 migrantes que se encontrava a bordo de uma embarcação a naufragar na sua zona oficial de socorro no mar.

Os homens foram recolhidos por um navio de patrulha e devem chegar a Malta hoje à noite.

As autoridades italianas confiscaram hoje, no porto de Lampedusa, uma outra embarcação de salvamento, depois de permitirem a retirada para terra dos 41 migrantes que transportava sem permissão do Governo italiano, resgatados na quinta-feira em águas internacionais do Mediterrâneo.

O pequeno veleiro Alex, da organização italiana Mediterranea, ignorou a política de portos fechados à imigração do ministro do Interior italiano Matteo Salvini, alegando que a bordo se vivia uma situação insustentável, sem condições para tantas pessoas a bordo (o veleiro tem capacidade para apenas 18 passageiros).

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais