Irão anuncia execução de lutador apesar de apelos internacionais

Lusa 12 de setembro de 2020
As mais lidas

Navid Afkari foi preso em setembro de 2018 por participação em manifestações ilegais, insulto ao líder supremo, roubo, inimizade em relação a Deus e homicídio.

Irão Ali Khamenei
Irão Ali Khamenei EPA

O Irão anunciou hoje ter executado um jovem lutador iraniano, Navid Afkari, condenado à morte pelo assassínio de um funcionário público durante "distúrbios" em 2018, segundo o site da televisão estatal.

A sentença foi executada esta manhã na prisão de Shiraz, anunciou na televisão estatal o procurador-geral da província de Fars, Kazem Mousavi.

A organização humanitária Human Rights Watch, o comité olímpico e a FIFA uniram-se hoje em apoio do lutador iraniano preso em setembro de 2018 por dezenas de acusações, incluindo participação em manifestações ilegais, insulto ao líder supremo do Irão, roubo, inimizade em relação a Deus e homicídio.

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, disse estar "extremamente preocupado" com o caso, e a Federação Internacional de Futebol (FIFA) pediu que a vida do atleta Navid Afkari fosse salva.

Em 15 de outubro de 2019, o Tribunal Criminal de Shiraz condenou Afkari, de 27 anos, um lutador profissional que era vice-campeão nacional iraniano, à pena de morte pelo alegado assassínio de Hasan Turkeman, um agente da lei, durante os protestos de agosto de 2018 em Shiraz. O tribunal condenou Vahid a 25 anos por supostamente ter ajudado no assassínio.

Em 25 de abril de 2020, a Secção 32 do Supremo Tribunal manteve a sentença e o tribunal indeferiu a acusação de tortura, citando uma declaração de Navid, na presença de um advogado, de que não havia sido torturado e não precisava ser visto por um médico.

No entanto, em 13 de setembro de 2019, numa carta manuscrita, Navid detalhou a tortura que afirma ter sofrido em dois centros de detenção em Shiraz, incluindo bater nas pernas, mãos e abdómen com um bastão, derramar álcool no nariz e cobrir a cabeça com um saco plástico a ponto de sufocar.

A Agência de Notícias de Ativistas dos Direitos Humanos (HRANA) informou que a Secção 1 do Tribunal Revolucionário de Shiraz também condenou Navid Afkari à morte sob a acusação de "inimizade em relação Deus" e dois anos de prisão por insultar o líder supremo iraniano.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais