Há 75 anos, Anne Frank foi detida pela Gestapo

Ana Rita Durão com Leonor Riso 05 de agosto de 2019

Há 75 anos, Anne Frank e a família foram descobertas em Amesterdão e levadas para o campo de concentração onde a menina morreu.

Foi há 75 anos, no dia 4 de agosto de 1944, que Anne Frank e a sua família foram descobertas pela polícia nazi, a Gestapo, retiradas do anexo onde viviam há mais de dois anos e levadas para um campo de concentração. Este dia nunca entrou no seu diário, que termina a 1 de agosto.

Otto e Edith Frank fugiram da Alemanha nazi em 1933, com as filhas Margot e Anne, e mudaram-se para a Holanda. No verão de 1942, a perseguição aos judeus já atingira Amesterdão e a família não teve outra opção senão esconder-se no chamado anexo secreto. Situava-se nos andares superiores das instalações empresariais de Otto Frank. Outra família juntar-se-ia: Auguste e Hermann van Pels, o seu filho Peter, e um dentista chamado Fritz Pfeffer.

Durante mais de dois anos, a família Frank suportou a vida clandestina. Em agosto de 1944, tiveram esperança que os aliados libertassem a cidade. "Eu tenho a sensação que se estão a aproximar amigos", escreveu Anne Frank no seu diário, a 6 de Junho de 1944. Mas os judeus estavam longe de estar seguros – havia recompensas para quem os entregasse aos nazis. Só nesse ano, na Holanda, quase 100 mil judeus tinham sido enviados para campos de concentração.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais