Elon Musk pediu plano para acabar com a fome no mundo. A ONU fez-lhe um

Elon Musk pediu plano para acabar com a fome no mundo. A ONU fez-lhe um
Diogo Camilo 17 de novembro

O homem mais rico do mundo garantiu que iria dar 2% da sua fortuna pessoal - mais de 5 mil milhões de euros - se a mostrasse como é que esse dinheiro acabaria com a fome no mundo. A ONU lançou o seu plano e disse que o poderia encontrar "na terra ou no espaço" para definir detalhes.

No final do mês passado, Elon Musk, o atual CEO da Tesla e o homem mais rico do mundo, desafiou a ONU a "descrever exatamente" como é que 2% da sua fortuna pessoal conseguiriam acabar com o problema da fome no mundo, uma ideia transmitida pelo diretor do World Food Programme (WFP). Agora, David Beasley respondeu ao magnata, lançando um plano que prevê a doação de 6,6 mil milhões de dólares, cerca de 5,8 mil milhões de euros, para a assistência a 42 milhões de pessoas em risco de fome.

O desafio inicial de Musk surgiu através do Twitter, quando o empresário questionava uma notícia da CNN sobre o plano para combater a fome no mundo: "Se o WFP conseguir demonstrar aqui em resposta a este tweet como é que 6 mil milhões de dólares poderiam acabar com a fome no mundo, eu vendo agora mesmo algumas ações da Tesla", escreveu, acrescentando que teria ainda de ser escrutinado como o dinheiro é investido.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais