Bruxelas defende que “lugar da Polónia é na UE” apesar de tensão com Varsóvia

Lusa 13 de outubro
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 21 a 27 de outubro
As mais lidas

O comissário europeu da Justiça, Didier Reynders, rejeita o cenário de um Polexit, lembrando os "protestos na Polónia durante o fim de semana" passado, de apoio à integração comunitária.

A Comissão Europeia defende que "o lugar da Polónia" é na União Europeia (UE), apesar das tensões entre Bruxelas e Varsóvia após o Tribunal Constitucional polaco ter declarado primazia de algumas leis nacionais sobre as europeias.

Patryk Ogorzalek/Agencja Gazeta via REUTERS

"O lugar da Polónia é na UE", afirma em entrevista por escrito à agência Lusa o comissário europeu da Justiça, Didier Reynders.

Questionado sobre uma eventual retirada da Polónia do espaço comunitário (que alguns especialistas já designaram como ‘Polexit’, dada a designação de ‘Brexit’ atribuída à saída do Reino Unido da UE), Didier Reynders rejeita esse cenário, lembrando os "protestos na Polónia durante o fim de semana" passado, de apoio à integração comunitária.

"As manifestações pacíficas são um direito fundamental em todos os países democráticos e apoiaremos sempre o direito ao protesto pacífico", refere o comissário europeu da Justiça, considerando ser "encorajador ver tantos cidadãos agitarem bandeiras da UE e a dizerem claramente que querem que a Polónia mantenha o seu pleno lugar na União".

Ainda assim, o responsável frisa nesta entrevista à Lusa que "a manutenção do Estado de Direito na UE é uma responsabilidade partilhada por todas as instituições europeias, bem como por todos os Estados-membros".

"É importante que os Estados-membros e outros [atores] participem nestes esforços conjuntos", vinca Didier Reynders, adiantando que "a Comissão continuará a desempenhar plenamente o seu papel de guardiã dos Tratados, tomando medidas decisivas, adequadas e proporcionadas para defender o direito da UE, quando e se necessário".

A posição do responsável europeu pela tutela surge depois de, na passada quinta-feira, o Tribunal Constitucional da Polónia ter deliberado que algumas das leis incluídas do Tratado de Adesão do país à UE são incompatíveis com a Constituição polaca.

Aquele tribunal pronunciou-se após vários adiamentos e a pedido do Governo polaco, que solicitou o seu parecer sobre a prevalência do direito polaco ou do direito europeu em caso de conflito entre ambos, num contencioso que se prolonga há vários meses entre Varsóvia e as instituições comunitárias.

Esta foi a primeira vez na história do bloco comunitário que um líder de um Estado-membro questionou os tratados da UE junto de um tribunal constitucional, aumentando assim a tensão entre Varsóvia e Bruxelas.

Deliberado pelo Tribunal Constitucional polaco foi então que "a UE não tem competência para avaliar a Justiça polaca e o seu funcionamento", rejeitando desta forma as exigências de Bruxelas sobre a abolição da reforma judicial que o Governo polaco promoveu em 2015.

O veredito foi emitido após uma pergunta colocada pelo primeiro-ministro polaco, Mateusz Morawiecki, sobre a prevalência da Constituição polaca relativamente ao organismo judicial comum europeu, o Tribunal de Justiça da UE.

Antes, no início de setembro, a Comissão Europeia pediu ao Tribunal de Justiça da UE a aplicação de uma multa à Polónia por incumprimento da ordem de suspensão da aplicação das disposições sobre competências do Conselho Disciplinar do seu Supremo Tribunal.

"Quando se trata de casos de infração, é muito raro e excecional que a Comissão solicite tais sanções contra um Estado-membro", adianta Didier Reynders à Lusa.

A resposta do Tribunal de Justiça da UE ao pedido de sanções financeiras deverá ser conhecida em breve.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Investigação
Opinião Ver mais