Bezos, Musk e Soros pagaram pouco (ou zero) em impostos

Bezos, Musk e Soros pagaram pouco (ou zero) em impostos
Diogo Barreto 09 de junho

Alguns dos mais ricos dos EUA conseguiram evitar pagar impostos através de lacunas na lei. Jeff Bezos chegou mesmo a receber apoios sociais para os seus filhos.

A ProPublica, uma plataforma de jornalismo de investigação independente, teve acesso às declarações de impostos dos 25 homens mais ricos dos Estados Unidos da América (os 0,001, como são chamados). Na sua análise descobriu que muitos pagam menos que elementos da classe média e há até alguns que pedem para que o Governo crie impostos mais altos para os ultra-ricos, mas que acabam por não pagar quase nada sobre o dinheiro que fazem.

Entre as pessoas analisadas pela ProPublica estão Jeff Bezos (Amazon), Elons Musk (Tesla e Space X), Warren Buffett (investidor), Michael Bloomberg (antigo presidente da câmara de Nova Iorque) ou George Soros (investidor) ou Bill Gates (Microsoft). E, de acordo com o site, houve anos em que alguns dos homens mais ricos do mundo simplesmente não pagaram impostos. 

A ProPublica, através da análise de dados confidenciais da Reserva Federal que lhe foram entregues, concluiu que só entre 2014 e 2018, os 25 norte-americanos mais ricos conseguiram em conjunto acrescentar quase 400 mil milhões de dólares ao seu património. Mas "só" contribuíram com 11,6 mil milhões de dólares em impostos, o equivalente a 3,4% da tributação total sobre este património coletivo, ou seja, menos do que um trabalhador da classe média norte-americana. Uma família mediana nos EUA paga 14% de impostos sobre os rendimentos obtidos. E a tabela para aqueles que ganham acima de 630 mil dólares anualmente (cerca de 500 mil euros) define que devem pagar 37% de imposto.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais