TAP acumula 500 milhões de euros em reembolsos a clientes

TAP acumula 500 milhões de euros em reembolsos a clientes
Bruno Faria Lopes 02 de maio

Clientes portugueses e estrangeiros desesperam com atrasos nos pagamentos e falta de respostas. Companhia, que tem ainda cerca de 350 milhões acumulados em vouchers, promete pagar.

Ainda na vida pré-pandemia, Filipa Rodrigues comprou com o marido dois bilhetes de avião para ir a Moçambique em Novembro do ano passado. Em Setembro recebeu um email da TAP a comunicar o cancelamento e a dar duas opções: trocar os bilhetes por vouchers para viagens futuras, com um bónus de 10% sobre o valor das mesmas; ou receber o dinheiro de volta. O casal não sabia quando poderia voltar a fazer uma viagem daquelas e escolheu receber de volta os 1.200 euros. "Quando dissemos que era essa a nossa opção, do outro lado a resposta passou a ser o silêncio", conta.

O tempo foi passando e os contactos repetidos para a TAP não foram produzindo resultados. "Comecei por trocar mensagens com alguém da TAP em Setembro, que deixou de me responder: não sei se, entretanto, saiu da empresa. Nas linhas telefónicas geralmente não atendem e, quando atendem, não sabem dizer o que se passa – quando peço para falar com alguém acima dizem que não há supervisores", explica. Já enviou mais de 50 mensagens para a conta oficial da companhia no Facebook, sem sucesso. Filipa percebe a situação difícil da empresa, mas a falta de resposta deixa-a "em fúria". Os dois amigos que iam viajar com Filipa e o marido optaram pelos vouchers, mas a experiência não foi muito melhor – em vez dos dois mil euros gastos nos bilhetes, mais o prometido bónus de 10%, receberam vouchers no total de 600 euros. "Também continuam com o problema por resolver", conta.

O impacto da pandemia deixou a TAP com uma montanha de pedidos de reembolso para pagar e de vouchers para emitir – e com uma guerra surda que dura há meses com milhares de clientes. Entre Março de 2020 e Março deste ano, a companhia acumulou cerca de 500 milhões de euros em reembolsos de bilhetes, segundo apurou a SÁBADO. Deste valor cerca de 200 milhões são de processos que ainda não estão a ser tramitados pela empresa, mas em que esta já sabe que terá de reembolsar os clientes. A somar a este volume de reembolsos está o dos vouchers. A empresa acumulou no mesmo período cerca de 350 milhões de euros em vouchers emitidos a clientes cujos voos foram cancelados, uma soma incomparavelmente superior aos 9,5 milhões de euros registados em 2019.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais