Portugal pretende devolver 4,6 mil ME antecipados ao FMI este ano

Lusa 05 de fevereiro de 2016
As mais lidas

O OE2016 prevê que Portugal devolva ainda este ano, e de forma antecipada, esse montante ao FMI relativo ao empréstimo contraído no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira

Portugal deverá devolver ainda este ano, e de forma antecipada, 4,6 mil milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional (FMI) relativos ao empréstimo contraído no âmbito do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF).

No relatório que acompanha o Orçamento do Estado para 2016, o Governo indica que pretende amortizar 4,6 mil milhões de euros do empréstimo contraído junto do FMI, um valor superior ao que a Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) tinha anunciado no início do ano.

Na apresentação aos investidores de Janeiro, o IGCP apresentou a estratégia de financiamento até 2019 e adiantou que Portugal devolveria 3,3 mil milhões de euros ao Fundo este ano e, agora, o Governo aumenta esse objectivo em 1,3 mil milhões de euros, comprometendo-se a devolver 4,6 mil milhões de euros.

Em 2015, Portugal desembolsou antecipadamente 8,4 mil milhões de euros ao Fundo: 6,6 mil milhões em Março e mais 1,8 mil milhões em Julho.

Em entrevista à agência Lusa, em Dezembro de 2015, a presidente do IGCP, Cristina Casalinho alertou que a devolução antecipada depende da venda do Novo Banco e da alienação dos activos do Banif que ficaram no veículo público.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Opinião Ver mais