Nuno Amado sobre perdão ao Sporting: "O nosso critério é defesa dos interesses do BCP"

Jornal de Negócios 07 de maio de 2018

"Não temos interesse em ter acções de entidades que sejam nossas clientes, não é a nossa função", frisou o presidente do BCP sobre os valores convertíveis em acções da SAD.

O Banco Comercial Português (BCP) aceitou contribuir para a diminuição da dívida do Sporting, através da venda de valores mobiliários obrigatoriamente convertíveis (VMOC), mas não quis fazer comentários sobre isso. Contudo, garante que tudo foi feito em nome do banco.

"O nosso critério é muito claro: a defesa dos interesses do BCP", afirmou Nuno Amado, na conferência de imprensa de apresentação de resultados do banco no primeiro trimestre, onde o banco registou lucros de 85,6 milhões de euros.

O presidente executivo da instituição financeira admite que "possa haver outros interesses em jogo", mas no caso do BCP há apenas a defesa dos seus próprios interesses. Nuno Amado afirmou-o depois de um dos sindicatos dos bancários ter criticado o alegado "perdão" de dívida ao clube de Alvalade.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais