Covid-19: Bancos garantem que vão "acelerar" chegada de fundos às famílias e empresas

Jornal de Negócios 07 de abril de 2020

Os maiores bancos nacionais estiveram reunidos, na segunda-feira, com o Presidente da República, num encontro que serviu para Marcelo Rebelo de Sousa perceber qual a sua visão sobre o impacto da pandemia e reforçar o seu papel neste contexto.

A banca assume o "compromisso inequívoco de apoiar a economia portuguesa" face à crise provocada pela pandemia de Covid-19 e, além da agilização dos apoios públicos anunciados pelo Governo, vai apresentar soluções de financiamento "da sua própria iniciativa".

Num comunicado conjunto emitido na sequência da reunião de segunda-feira com o Presidente da República, e ao qual a agência Lusa teve hoje acesso, o BPI, Caixa Geral de Depósitos (CGD), BCP, Novo Banco e Santander assumem o "compromisso inequívoco de apoiar a economia portuguesa", afirmando-se "cientes de que a recuperação do tecido empresarial é essencial para o funcionamento da vida em sociedade e para o futuro e solidez dos próprios bancos, que para além da crise terão que continuar a servir a economia".

Neste contexto, garantem que, "respeitando todas as orientações da Direção-Geral da Saúde, vão permanecer com elevado número de sucursais abertas ao público, de forma a assegurar a agilização dos apoios públicos e privados e a garantirem a inclusão de todos os cidadãos".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Opinião Ver mais