Da Guiné para Alvalade: Zicky Té, o novo prodígio do futsal

Da Guiné para Alvalade: Zicky Té, o novo prodígio do futsal
Diogo Camilo 04 de maio

Aos 17 anos tornou-se o mais jovem de sempre a marcar no campeonato português. Agora conquista o seu maior sonho, a Liga dos Campeões, marcando o golo que iniciou a reviravolta dos "leões". A chegada ao Sporting aconteceu pela mão do treinador Nuno Dias, que o viu jogar no Póvoa de Santo Adrião quando era apenas infantil.

O Sporting venceu na segunda-feira a Liga dos Campeões em futsal e a grande figura da final foi um jovem nascido na Guiné, ainda com idade de júnior, que estava nas bancadas a ver os seus ídolos quando os "leões" venceram a competição pela primeira vez, há dois anos. Aos 19 anos, Zicky Té o novo prodígio do futsal português: foi o mais jovem de sempre a marcar no campeonato, já vestiu a camisola da seleção nacional e no ano passado foi nomeado para o prémio de "Melhor Jovem Jogador do Mundo". Ontem marcou o golo que iniciou a reviravolta do Sporting contra o Barcelona.

Izaquiel Gomes Té nasceu em Bissau, em 2001, e chegou a Portugal com seis anos. Conhecido por Zicky devido a uma prima, cresceu a jogar em Santo António dos Cavaleiros, em Loures, e entrou no futsal por influência de amigos no GROB – Grupo Recreativo Olival Basto, na época de 2011/2012, juntando-se ao PSAAC – Póvoa de Santo Adrião Atlético Clube na mesma época. A chegada ao Sporting deu-se dois anos depois, quando era apenas infantil, pela mão de Nuno Dias, treinador dos leões.

"Comecei a jogar através de amigos, jogávamos num rinque que havia no Olival Basto. Depois, juntei-me ao clube para jogar futsal e não futebol de rua. O Sporting tinha muitos olheiros e viam os nossos jogos e fiz captações depois de um jogo treino contra o Sporting. Foi nos infantis, lembro-me de ter visto o mister do Sporting [que já era Nuno Dias] e futuros colegas meus a assistir a alguns jogos", afirmou em entrevista ao Zerozero, em março.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais