No maior lago do mundo chegaram a viver mini baleias

No maior lago do mundo chegaram a viver mini baleias
Ana Bela Ferreira 08 de junho

Versões miniaturas viveram num lago que ia dos Alpes até ao que é hoje o Cazaquistão. À medida que o lago ia encolhendo, os prados em volta albergaram as versões primitivas dos elefantes e girafas que acabaram a migrar para África.

Há 12 milhões de anos o choque entre placas tectónicas criou o maior lago que já alguma vez existiu no mundo. O mar Paratethys ergueu-se na Europa central e albergou espécies únicas como as baleias mais pequenas do mundo. Dois novos estudos científicos mostram como o lago surgiu, mudou a paisagem em volta e ajudou espécies como os elefantes e as girafas a ganharem o seu espaço no mundo.

O lago ia da aérea norte dos Alpes e estendia-se até ao território que é hoje o Cazaquistão, cobrindo mais de 2,8 milhões de km quadrados. Uma área maior do que a do Mar Mediterrâneo. Estas dimensões foram calculadas num dos novos estudos, que foi conduzido pelo paleo-oceanógrafo Dan Palcu, da Universidade de São Paulo, através do estudo dos registos geológicos e fósseis. Os dados mostram ainda que o lago teria mais de 1,77 milhões de km cúbicos de água doce, 10 vezes mais do que o volume de todos os lagos do mundo hoje em dia - água salgada e doce, juntos.

Nos cinco milhões de anos de existência do Paratethys, as mudanças de clima acabaram por levar ao seu desaparecimento. Durante o seu maior período de contração, o lago perdeu um terço da sua água e mais de dois terços da sua superfície. Isso fez com que a salinidade na bacia central do lago - que corresponde ao Mar Negro de hoje - disparasse, de cerca de um terço da salinidade dos oceanos atuais para um nível equivalente à água do mar.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais