Muitos rios mundiais estão inundados de antibióticos

Lusa 19 de junho de 2019
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 21 a 27 de janeiro
As mais lidas

Um estudo pioneiro que analisou rios de 72 países encontrou índices elevados da presença de antibióticos. O rio Kirtankhola no Bangladesh é o mais poluído com estes medicamentos.

Um estudo massivo e pioneiro que analisou rios de 72 países espalhados pelo mundo concluiu que muitos estão carregados de antibióticos: 66% destes medicamentos encontrados em 711 locais examinados. A maioria dos rios poluídos localiza-se na Ásia e África, com o rio Kirtankhola no Bangladesh a ser o mais poluído com estes medicamentos da amostra.

Não obstante um terço dos locais analisados durante o ano passado não terem níveis de antibióticos detetáveis, 66% - 470 locais – testaram positivo para pelo menos 14 tipos diferentes de antibióticos. Quase 16% (ou 111 locais) continham quantidades consideradas perigosas, fundamentadas na escala da AMR Industry Alliance, uma coligação farmacêutica e biotecnológica. A companhia criou a escala com base nos níveis que não matam as algas no ambiente ou promovem resistência ao matarem bactérias.

"Penso que ninguém estava à espera do grau de concentrações que vimos. Foi um abrir de olhos", comentou com a Science News o químico ambiental Alistair Boxall da University of York em Inglaterra, que conduziu o estudo com o colega John Wilkinson.

Para completarem a investigação, os cientistas pediram auxílio a colegas de vários pontos do mundo, a quem enviarem kits de recolha de amostras, que procuraram 61 drogas diferentes nos rios. "Em última instância, seria bom recolher amostras de todos os rios do mundo", almeja Boxall.

<blockquote class="embedly-card"><h4><a href="https://www.sabado.pt/ciencia---saude/detalhe/como-as-bacterias-aprendem-a-resistir-aos-antibioticos">Como as bactérias aprendem a resistir aos antibióticos</a></h4><p>A maioria das bactérias prejudiciais praticamente mortas podem por vezes ser "ressuscitadas" como células resistentes a antibióticos, concluiu um novo estudo publicado em maio na revista Science . Os autores observaram o processo nas células da bactéria E. coli.</p></blockquote>
<script async src="//cdn.embedly.com/widgets/platform.js" charset="UTF-8"></script>

Altas concentrações de antibióticos foram encontradas em rios de Accra, Gana, Nairobi, Kenya, Paquistão, Lagos, Nigéria, Israel, entre outros. O mais contaminado na Europa é o Danúbio na Áustria. Nos EUA, o mais poluído é o North Liberty no Iowa, que fica perto de matadouros.

O antibiótico mais encontrado nos rios foi o Trimetoprim, usado para tratar infeções urinárias, que apareceu em 43% dos locais analisados.

Os investigadores esperam que o seu trabalho leve a medidas políticas mundiais que combatam a poluição de antibióticos.

Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana.
Boas leituras!
Artigos Relacionados
Opinião Ver mais