Lavar a roupa: a causa da poluição generalizada de plástico no Ártico

Lavar a roupa: a causa da poluição generalizada de plástico no Ártico
Ana Bela Ferreira 14 de janeiro

Cientistas analisaram amostras de água entre os 3 e os 8 metros abaixo da superfície e encontrou microplásticos compatíveis com as fibras de polyester usadas nas roupas.

Lavar a roupa na Europa e América do Norte está a deixar o oceano Ártico poluído com microplásticos. A poluição "generalizada" é causada pela lavagem de roupas sintéticas, aponta uma investigação científica.

Foram encontrados microplásticos em 96 das 07 amostras de água do mar recolhidas na maior e mais completa investigação feita até à data nesta região do globo, coordenada pela Ocean Wise Conservation do Canadá. Mais de 92% dos microplásticos eram fibras, e 73% delas era feitas de poliéster e tinha a mesma espessura e cores que as usadas em roupas. A maioria destas amostras foram recolhidas entre os 3 e 8 metros de profundidade, uma área onde grande parte da vida marinha se alimenta.

Estudos recentes mostraram que todos os anos, cerca de 3.500 toneladas de microfibras de plástico da lavagem das roupas nos EUA e Canadá acabam no mar e outro modelo sugere que o plástico que vai parar ao mar no Reino Unido chega ao Ártico em dois anos.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais