Tik Tok: "Em quase dois meses, ganhámos mais de meio milhão de utilizadores em Portugal"

Tik Tok: 'Em quase dois meses, ganhámos mais de meio milhão de utilizadores em Portugal'
Raquel Lito 10 de maio de 2020

Ensaios de coreografias primeiro; depois a gravação dos vídeos. A plataforma de entretenimento online, de origem chinesa, está a agitar o mercado nacional. Inês Guedes, country manager, explica em entrevista à SÁBADO porque é que tantos seguem a onda.

É a rede social do momento, com origem na China. Presente em 155 países e com mais de 500 milhões de utilizadores activos diários, dispara em Portugal desde a pandemia. Para começar, o nome fica no ouvido: Tik Tok. Os vídeos curtos até 15 segundos, que tiveram um primeiro impacto nos miúdos, também contribuem para o sucesso, numa altura em que as pessoas estão ávidas de entretenimento via smartphones.

É esta a receita do crescimento apresentada à SÁBADO por Inês Guedes, de 44 anos. A country manager da Azerion, a empresa que comercializa a rede social Tik Tok em Portugal, fala dos números, da segurança, da adesão das famílias e celebridades portuguesas à nova app.   

A app Tik Tok é origem chinesa e tem ganho expressão nos Estados Unidos. Este fenómeno levanta problemas face ao contexto da pandemia?
Na sequência da guerra política entre os Estados Unidos e a China, os primeiros começaram a levantar questões quanto à segurança. Isto foi automaticamente desmentido e explicado pela empresa, porque não é pela plataforma ter origem chinesa que vamos começar a duvidar. A segurança é feita da mesma maneira para qualquer utilizador como, por exemplo, o Facebook faz para assegurá-la. Pode ser opção dos pais terem mais ou menos controlo consoante a plataforma.

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais