Goleada deixa FC Porto na liderança provisória

Cátia Andrea Costa , Lusa 17 de fevereiro de 2017
As mais lidas

Os dragões chegaram ao intervalo a vencer com um golo de André Silva. Ruben Neves, Soares e Diogo Jota marcaram na segunda parte

O FC Porto conseguiu manter o Benfica sobre pressão ao vencer o Tondela por 4-0, num jogo realizado no Estádio do Dragão, esta sexta-feira. 

José Coelho/Lusa
Os "dragões" chegaram ao intervalo a vencer por 1-0, golo de André Silva, aos 43 minutos, na conversão de uma grande penalidade, tendo Ruben Neves, aos 54, Soares, aos 63, e Diogo Jota, aos 90+2, anotado os restantes tentos dos portistas, numa segunda parte em que o Tondela jogou com menos um, depois da expulsão de Osório, aos 45+2.

Para este desafio, o treinador do FC Porto, Nuno Espírito Santo, promoveu uma série de alterações, provavelmente já a pensar na partida de quarta-feira frente à Juventus, na primeira mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. O técnico deixou a "descansar" Danilo, Herrera e Brahimi, apostando na titularidade de Rúben Neves, Corona e Otávio, que voltou à competição dois meses depois de ser ter lesionado.

Apesar das mexidas, os dragões fizeram o que lhes competia, forçando uma entrada mais forte no desafio e criando, cedo, a primeira oportunidade de golo, logo aos quatro minutos, num cabeceamento de Soares, que o guardião do Tondela desviou para canto.

Mesmo perante o maior ritmo do adversário, o Tondela recusou-se a assumir uma postura passiva ,e aproveitando alguma falta de entrosamento no meio campo do FC Porto, foi respondendo em contra-ataques. Numa dessas investidas, Jhon Murillo, de cabeça, ainda antes do quarto de hora, obrigou Casillas à sua primeira intervenção da noite.

Ainda assim, os atrevimentos da formação beirã não conseguiam travar o maior balanceamento dos locais, que, apesar de sentirem alguma dificuldade no último passe, tiveram num par de remates de Otávio e Corona boas oportunidades para inaugurar o marcador.

O Tondela ainda conseguiu responder, com um remate de Pedro Nuno, à entrada da área, que Casillas voltou a suster, mas acabaram por ter dois lances fatais nos últimos minutos desta etapa inicial.

Primeiro, numa falta de Osório sobre Soares na área, castigada com grande penalidade que André Silva, aos 43 minutos, converteu, inaugurando o marcador. E, depois, já nos descontos, com Osório a voltar a envolver-se com Soares, obstruindo-lhe um caminho quando este se dirigia para a baliza, vendo o segundo amarelo em menos de três minutos e deixando a equipa reduzida a dez para todo o segundo tempo.

O FC Porto não demorou a tirar partido desse desequilíbrio no adversário e apenas dois minutos após o reatamento, Soares teve uma perdida clamorosa, quando, depois de se isolar, atirou ao lado, perante a saída do guarda-redes tondelense.

No entanto, o lance foi prenúncio do segundo golo dos dragões, quando, aos 54 minutos, Rúben Neves, com um remate de longe, apontou o mais espectacular tento da noite, fixando o 2-0.

O segundo golo foi um forte golpe nas aspirações do Tondela, que já não conseguiu revelar a mesma ambição do primeiro tempo, centrando as suas preocupações no sector defensivo.

Isso permitiu ao FC Porto crescer e insistir com mais acutilância e, já depois de André Silva, com a baliza à mercê, atirar ao lado, o 3-0 chegou, sem surpresa, através de Soares, num remate em jeito, após assistência de Otávio.

A vantagem confortável e incapacidade de resposta do Tondela deu segurança a Nuno Espírito Santo para promover mais poupanças, retirando Soares, Otávio e Maxi nos minutos finais.

Nessas alterações, Diogo Jota foi lançado no jogo e, já nos minutos finais, deixou também a sua marca, apontando o 4-0 final, após assistência de André Silva.

Com esta vitória, o FC Porto assume provisoriamente a liderança da prova com 53 pontos, mais dois do que o Benfica, segundo classificado e que joga no domingo em casa do Sporting de Braga, enquanto o Tondela é último com 14.

Artigos Relacionados