Violência no namoro: jovens acham normal perseguir, proibir e abusar

Violência no namoro: jovens acham normal perseguir, proibir e abusar
Mariana Branco 14 de fevereiro de 2018

Um inquérito nacional a cerca de 4600 jovens revela que mais de metade já foi alvo de pelo menos um acto de violência num relacionamento.

Um inquérito nacional sobre violência no namoro, cujos resultados são divulgados esta quarta-feira, revela que mais de metade dos jovens num relacionamento amoroso já foi alvo de pelo menos um acto de violência. Desde proibir certas roupas a entrar em redes sociais sem autorização do próprio, grande parte dos jovens portugueses aceita comportamentos violentos na intimidade.

De acordo com o estudo da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), mais de dois terços dos jovens inquiridos aceitam como normal comportamentos violentos na intimidade. Estiveram envolvidos no inquérito cerca de 4600 jovens, com uma média de idades de 15 anos.

Os resultados do inquérito alertam para as "elevadas taxas de vitimação e, sobretudo, de legitimação da violência". 68,5% dos jovens (3.186) consideram natural um comportamento violento nas relações, enquanto 56% garantem já ter sofrido actos de vitimação. A UMAR considera que estes resultados "preocupantes".

Para continuar a ler
Já tem conta? Faça login
Para activar o código da revista, clique aqui
Investigação
Opinião Ver mais