Ponte pedonal do Museu dos Coches deverá estar concluída em Março

Lusa 23 de janeiro de 2018
Sábado
Leia a revista
Em versão ePaper
Ler agora
Edição de 23 a 29 de setembro
As mais lidas

A ponte possibilitará a passagem sobre a avenida da Índia e a via férrea, para a zona ribeirinha do Tejo, em Belém.

A nova ponte pedonal junto ao Museu dos Coches, em Belém, que fará a ligação à zona ribeirinha, deverá estar concluída até ao final do primeiro semestre deste ano, disse à agência Lusa fonte do museu.

Contactada pela agência Lusa, a directora do Museu Nacional dos Coches, Silvana Bessone, indicou este como o prazo provável para a conclusão da obra que faz parte do projecto criado pelo arquitecto brasileiro Paulo Mendes da Rocha, Prémio Pritzker 2006.

A ponte possibilitará a passagem sobre a avenida da Índia e a via férrea, para a zona ribeirinha do Tejo, em Belém.

A antiga ponte, que continua a ser usada para fazer aquela ligação, em Belém, tinha sido encerrada no dia 5 de Outubro de 2016 por razões de segurança, quando milhares de pessoas acorriam à inauguração do Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia (MAAT), da Fundação EDP, junto ao Tejo.

A ponte foi reaberta alguns dias depois de um parecer do Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ) atestar a segurança da estrutura.

O projecto do MAAT também inclui uma nova ponte pedonal, cuja abertura estava prevista para o final do ano passado, mas que "deverá estar concluída nas próximas semanas", segundo disse à Lusa fonte da comunicação da Fundação EDP.

Esta estrutura parte do largo Marquês de Angeja, em Belém, entre a rua da Junqueira, a travessa da Pimenteira e a rua do Cais da Alfândega Velha, fazendo a ligação à cobertura do MAAT, à beira rio.

A concretizarem-se os trabalhos dos dois projectos, este ano Belém terá duas novas passagens pedonais para a margem Tejo.

Localizado na praça Afonso de Albuquerque, o Museu Nacional dos Coches - que recebeu 350.254 visitantes no ano passado - reúne uma colecção única no mundo de viaturas de gala e de passeio do século XVII ao século XIX, na sua maioria provenientes dos bens da coroa ou propriedade particular da Casa Real portuguesa.

O projecto foi financiado com a execução das contrapartidas do Casino Lisboa, num investimento total de 40 milhões de euros.
Descubra as
Edições do Dia
Publicamos para si, em três periodos distintos do dia, o melhor da atualidade nacional e internacional. Os artigos das Edições do Dia estão ordenados cronologicamente aqui , para que não perca nada do melhor que a SÁBADO prepara para si. Pode também navegar nas edições anteriores, do dia ou da semana
Artigos Relacionados
Investigação
Opinião Ver mais